Na coluna Aprendendo a Viver de hoje,  o Colunista reflete sobre a vaidade. Até que ponto esse sentimento é saudável ?

As notícias sobre os fatos envolvendo o “Dr. Bumbum” devem nos fazer refletir um pouco. Sobre o que se trata tudo isso? Sobre só e somente só a Vaidade, aqui iniciado de propósito por letra maiúscula. A Vaidade estimula o desejo das mulheres em modelar o corpo, em torná-lo mais bonito, até modificando aquela parte do corpo considerada a preferência nacional masculina.

A Vaidade já foi retratada diversas vezes na milenar cultura mundial, devendo ter como sua origem na mitologia grega, na estória de Narciso. Narciso era tão belo que, fatalmente, apaixona-se pelo seu próprio reflexo nas águas cristalinas de uma fonte. O mito de Narciso leva ao tema da transitoriedade da beleza e dos laços que unem o narcisismo à inveja e à morte.

A morte também domina outra estória fascinante acerca da Vaidade, o clássico O Retrato de Dorian Gray, do irlandês Oscar Wilde. Nela, um retrato do belo Dorian Gray o deixa fascinado, que acha injusto o retrato ser eterno e ele, como humano, ter que perder aquela beleza com o passar do tempo. Como um passe de mágica, Dorian deixa de envelhecer e passa a se utilizar egoisticamente de sua beleza para conquistar e manipular as pessoas ao seu redor, enquanto o retrato passa a mostrar a verdadeira imagem de Dorian, um retrato com um rosto envelhecido e tomado de um aspecto monstruoso.

No caso do brasileiríssimo “Dr Bumbum”, a morte também acompanhava a Vaidade. Prometendo um corpo escultural, com curvas atraentes, o médico convencia as mulheres a se submeterem a cirurgias plásticas em locais inadequados, em condições médico-sanitárias no mínimo suspeitas e utilizando produtos de qualidade duvidosa.

Não condeno a Vaidade. Ela, em doses aceitáveis, está associada à uma autoestima elevada, o que impulsiona para a realização de tarefas, para o cumprimento de objetivos e metas de vida. Sentir-se bem e bonito é saudável, portanto precisamos entender que a nossa beleza está principalmente no nosso sorriso, na nossa simpatia, na nossa paz, na nossa gratidão, na nossa solidariedade, na nossa alegria. Portanto, encontre a sua beleza dentro de si e não fora, pois pode ser fatal!

Por Emerson Lima

Responder