No Dia Mundial da Saúde Mental, lembrado nesta terça-feira (10), o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II) realizou atividades com usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Para valorizar as pessoas com transtorno mental e dar visibilidade à temática, a equipe multidisciplinar organizou palestra, dinâmicas de socialização e música ao vivo.

“A gente precisa falar mais de saúde mental, não deixar o tema cair no esquecimento. Está em voga por causa da campanha Setembro Amarelo, mas precisamos falar para quebrar estigmas e fazer com que as pessoas procurem ajuda”, enfatizou a coordenadora do CAPS II Maria de Jesus.

O CAPS atende e acompanha pacientes com problemas de saúde mental, desde depressão a transtornos mais graves, através de uma equipe multidisciplinar, formada por nutricionista, psicólogo, psiquiatra, assistente social, terapeuta ocupacional, enfermeiras, técnicas de enfermagem, farmacêutico, educador físico e artesã.

De acordo com a coordenadora, os pacientes chegam ao CAPS por procura espontânea ou através de encaminhamento realizado pelas Unidades Básicas de Saúde, através das equipes de Estratégia de Saúde da Família.

“Os casos se dividem em intensivos, que é quando o paciente vem todos os dias; semi-intensivos, vem duas vezes por semana; e não-intensivos, quando vem duas vezes ao mês. O nosso maior número é de casos não-intensivos, que são problemas com agravos menores”, explica Maria de Jesus.

Ao chegar no Centro de Atendimento Psicossocial, os profissionais fazem o acolhimento do usuário do SUS para, então, encaminha-los à avaliação com psiquiatra para classificação e compreensão do problema. Só depois, é definido o tipo de paciente e como será o tratamento e acompanhamento.

Secretaria de Saúde de Picos | Coordenação de Comunicação Social
Jornalista responsável: Mayara S. Ferreira

Responder