Cuba é uma ilha no meio do Atlântico que vive a contradição de ter passado pela colonização, revolução e viver até hoje uma ditadura de esquerda. Mas, o bom de tudo é que no meio de tanta história sempre nasce algo pitoresco, seja no bom humor dos cubanos com seu espanhol rápido e cortado, ao mesmo tempo externando idéias amplas e filosóficas. Seja na contradição arquitetônica da periferia da capital, que convive com sua história na arquitetura colonial.Seja na poesia negra e inspiração do cheiro de Havana, no mistério da religião afro ou nas lembranças de pessoas ilustres que la viveram como o escritor Ernest Hemingway . Que além de ter escrito best sellers como: o velho e o mar, escreveu que seu mojito  era na Bodeguita do Meio e seu daiquiri na Floridita…

Havana, está mais diferente a cada dia e com a morte de Fidel a cidade pode mudar mais rápido do que nas últimas décadas. Os seus prédios coloniais começam a ser reformados. Nas ruas ,entre os carros dos anos 50, já trafegam alguns de marca europeia.

Porem a ideia da revolução, o sonho  de homens como Che Guevara , ainda vive através das almas dos cubanos.Um pequeno Grande país que mesmo com a queda do muro de Berlim, sustentou e resistiu no sistema comunista .

Quando alguém me pergunta porque ir a Cuba ? Eu respondo , Havana é um roteiro fantástico, a praça da revolução ainda recorda a voz do seu comandante Fidel e ainda tem a preguiça poética do estar na rua dos cubanos…

Enquanto existir o táxi de coco e o melhor daiquiri do mundo, vale a pena ir nesse cenário insólito. Aqui a violência é zero , você pode tranquilamente passear pelas ruas e provar um dos coquetéis mais famosos do mundo: o daiquiri da Floridita..e o Mojito da Bodeguita do Meio e ainda pagar apenas 4 euros por um mojito feito não só de rum, limonada e menta…mas, de história e lembranças!

Vale conferir o museu do charuto e o do Rum que mostra em miniatura todo o processo como é feita essa bebida e o que a distingue de nossa cachaça brasileira. Eu que gosto de charuto e amo os Cohibas prefiro comprar mesmo com quem sabe, porque mesmo visitando o museu de puros(como se chama charuto em espanhol), o melhor preço e a garantia ainda fica em comprar com o amigo cubando de confiança… e o rum especialíssimo , eu não resisti e me atrevi a pagar mais de 40 euros por uma garrafa reserva…esse não é para fazer mojitos porque como nossa cachaça, caipirinha boa é com cana clara e não envelhecida, mas para apreciar lentamente o sabor forte, amargo e inebriante de Cuba.

 

Tem que ter o coração e a alma dizendo sempre sim! para provar, ver, sentir, ouvir e entender o que é CUBA.  Livre! Dependendo do conceito de liberdade !

 

Por Patricia Cassemiro

Responder