Com o pé na estrada

Com o pé na estrada

Viajar é meu hobby, falo alguns idiomas suficientemente para sobreviver e já estive em todos os continentes. Meu conselho se alguém estar mal: viajar, se quer comemorar uma grande data: viajar. Se é jovem e solteiro :viajar, se estar a dois: viajar, se já se aposentou...logicamente : viajar. Seja de first class ou grandes cruzeiros, ou de mochila e albergue, para mim uma viagem é não só conhecer um novo lugar, uma nova cultura, paisagens diferentes, cozinhas, mas é principalmente descobrir a si mesmo fora do seu habitat. Por isso, uma coluna especial para falar um pouquinho do mundo e ajudar a você que tenha alguma dúvida a achar o seu roteiro perfeito e não esqueça os imprevisto podem ocorrer e por isso, também vou contar um pouquinho de como podemos solucionar estando fora do nosso país. Vamos viajar juntos...

CUBA : Um país de alma livre .

Cuba é uma ilha no meio do Atlântico que vive a contradição de ter passado pela colonização, revolução e viver até hoje uma ditadura de esquerda. Mas, o bom de tudo é que no meio de tanta história sempre nasce algo pitoresco, seja no bom humor dos cubanos com seu espanhol rápido e cortado, ao mesmo tempo externando idéias amplas e filosóficas. Seja na contradição arquitetônica da periferia da capital, que convive com sua história na arquitetura colonial.Seja na poesia negra e inspiração do cheiro de Havana, no mistério da religião afro ou nas lembranças de pessoas ilustres que la viveram como o escritor Ernest Hemingway . Que além de ter escrito best sellers como: o velho e o mar, escreveu que seu mojito  era na Bodeguita do Meio e seu daiquiri na Floridita…

Havana, está mais diferente a cada dia e com a morte de Fidel a cidade pode mudar mais rápido do que nas últimas décadas. Os seus prédios coloniais começam a ser reformados. Nas ruas ,entre os carros dos anos 50, já trafegam alguns de marca europeia.

Porem a ideia da revolução, o sonho  de homens como Che Guevara , ainda vive através das almas dos cubanos.Um pequeno Grande país que mesmo com a queda do muro de Berlim, sustentou e resistiu no sistema comunista .

Quando alguém me pergunta porque ir a Cuba ? Eu respondo , Havana é um roteiro fantástico, a praça da revolução ainda recorda a voz do seu comandante Fidel e ainda tem a preguiça poética do estar na rua dos cubanos…

Enquanto existir o táxi de coco e o melhor daiquiri do mundo, vale a pena ir nesse cenário insólito. Aqui a violência é zero , você pode tranquilamente passear pelas ruas e provar um dos coquetéis mais famosos do mundo: o daiquiri da Floridita..e o Mojito da Bodeguita do Meio e ainda pagar apenas 4 euros por um mojito feito não só de rum, limonada e menta…mas, de história e lembranças!

Vale conferir o museu do charuto e o do Rum que mostra em miniatura todo o processo como é feita essa bebida e o que a distingue de nossa cachaça brasileira. Eu que gosto de charuto e amo os Cohibas prefiro comprar mesmo com quem sabe, porque mesmo visitando o museu de puros(como se chama charuto em espanhol), o melhor preço e a garantia ainda fica em comprar com o amigo cubando de confiança… e o rum especialíssimo , eu não resisti e me atrevi a pagar mais de 40 euros por uma garrafa reserva…esse não é para fazer mojitos porque como nossa cachaça, caipirinha boa é com cana clara e não envelhecida, mas para apreciar lentamente o sabor forte, amargo e inebriante de Cuba.

 

Tem que ter o coração e a alma dizendo sempre sim! para provar, ver, sentir, ouvir e entender o que é CUBA.  Livre! Dependendo do conceito de liberdade !

 

Por Patricia Cassemiro

Egito, um país de muitas contradições.

SONY DSC

Egito ou Mars como se chama no árabe egípcio. Qual a viagem dos seus sonhos? a minha durante muito e muito tempo foi o Egito, até que fui lá quase por um acaso, num cruzeiro que além da Grécia, incluía uma das sete maravilhas da antiguidade: as PIRAMIDES.

Egito, um país de muitas contradições , logo ao desembarcar no Cairo, um susto, como existe por conta do deserto do Saara muitas chuvas que deixam um barro escuro, a
sensação é de uma sujeira acumulada há anos, a seguir, observa-se prédios e casas inacabadas .(segundo informações de um guia turístico, para driblar o pagamento de impostos ) A sensação, é a de que esta cidade ,de quase 8 milhões de habitantes com região metropolitana de mais de 24 milhōes de habitantes ,passara por uma guerra. O caos do transito é ainda mais angustiante, parece não haver leis que regulem a condução de veículos.Porem após os sustos iniciais, ver e visitar os pontos turísticos do Egito não tem preço! As piramides, a grandiosidade da esfinge de Gizé nos faz esquecer tudo e definitivamente mergulharmos na imensidão destas obras.

Foi inevitável a meditação e as perguntas : como o homem construiu tais obras em épocas sem tecnologia ? como traziam essas imensas pedras para esse lugar ? é realmente fascinante. Vale muito a pena conhecer o deserto que também nos transporta a uma viagem ao nosso interior. A visita ao museu do Cairo , que pouco a pouco vai recobrando suas valiosas peças espalhadas pelo mundo por roubo, não foi menos emocionante ! Entre as peças recuperadas , o sárcofago de Tutacamon, com sua bela máscara de ouro .

Outra parada obrigatória, Nilo. Mesmo com aguas turvas , um mini cruzeiro pelo rio é indispensável ! Assim também como a visita aos palácios com suas pinturas características e arquitetura visando o melhor aproveitamento da luz do sol, nas variações diárias e de estações. Só não caia no conto de cinco libras egípcias para subir no Camelo , pois os negociantes podem te cobrar vinte vezes mais para descer dos animais ,que medem mais de dois metros de altura e pesam cerca de 5 toneladas.

Na hora de trazer as lembranças e presentes para casa ,cautela, você pode comprar peças artesanais preciosas por 10 vezes menos que o preço oferecido, e quando não quiser comprar nada fale : “lá, lá, lá ” que quer dizer : Não! Não!

Se você gosta de beber , é bom saber que as Bebidas alcóolicas, assim como na maioria dos países árabes, não são encontradas com facilidade e cuidado com a higiene e limpeza , na hora de ir ao restaurante, melhor pedir comidas cozidas ,que as cruas, como saladas.

E lembre-se não pode faltar no seu roteiro, visitas as mesquitas .A mesquita de al-Azhar, por exemplo, è do século X e uma das mais importantes do Cairo. A vestimenta é o vestido ou saia cumprida, levando uma encharpe para cobrir a cabeça. E não esqueça de tirar os sapatos antes de adentrar esses recintos de oração !

Mais um lembrete importante ! Procure viajar com uma agencia que providencie o visto e ofereça excussões nos idiomas exigidos.

 

Por Patricia Cassemiro

Recent Posts