Politicando

Politicando

Marcelo Rocha é jornalista há 31 anos. Já trabalhou nas emissoras de Televisão no Piauí, TV Clube, TV Antena 10, TV Meio Norte, TV Antares e TV Delta. Foi diretor-geral da TV Delta e Costa Norte, na cidade de Parnaíba. Já esteve nos jornais, O DIA e Meio Norte. Já fez programas radiofônicos na rádios Pioneira AM e Difusora AM, em Teresina. Atualmente, apresenta um programa na Jockey FM e é jornalista e colunista no jornal Diário do Povo.

João Henrique Sousa pode receber apoio de Michel Temer

O presidente do Conselho Nacional do SESI e vice-presidente estadual do MDB, ex-ministro João Henrique Sousa (PMDB), declarou que está pronto para a realização da convenção do partido em qualquer data, para decidir se o legenda deva lançar candidato próprio ao governo do Piauí ou apoiar a candidatura do governador Wellington Dias (PT). Deputados do MDB, encabeçados pelos parlamentares Marcelo Castro e Themístocles Filho, querem que a sigla acompanhe o petista.

No entanto, durante reunião com o presidente da República Michel Temer, ocorrida na manhã desta terça-feira (06), João Henrique Sousa recebeu a garantia de Michel Temer de que terá apoio total dele, caso consiga ser escolhido na convenção do MDB piauiense o candidato a governador do Piaui. A audiência aconteceu no Palácio do Planalto.

João Henrique Sousa declarou que aceita a realização da convenção em qualquer data, exceto o período de 9 a 18 de março. Durante esses dias, o ex-ministro estará nos Estados Unidos participando de um evento ligado ao SESI. João Henrique Sousa acredita que tem o apoio da maioria dos delegados do partido.

Nesta quarta-feira, o ex-ministro João Henrique Sousa dá início a mais uma série de visitas há 18 municípios da região de Altos. Ele tem realizado vários encontros com os emedebistas do interior do Piauí.

 

fonte;Parlamento Piaui

Ciro Nogueira diz que Odebrecht lhe propôs R$ 5 mi no caixa 2

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, em depoimento à Polícia Federal, confirmou que em 2014, um executivo da Odebrecht lhe ofereceu R$ 5 milhões, através de Caixa 2. O dinheiro seria pago no exterior. No depoimento, Ciro Nogueira afirma que o pagamento não foi realizado. Ele considerou que a proposta fora “mera desculpa para não realizar doação ao PP”.

A declaração do senador piauiense foi dada à Polícia Federal, no inquérito instaurado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar a existência de supostas propinas para Ciro Nogueira em 2010 e 2014 para apoio de campanha eleitoral. Os Ex-executivos da Odebrecht, José de Carvalho Filho, Cláudio Melo Filho e Benedicto Júnior, declararam que o senador progressista procurou a empreiteira e recebeu R$ 1,3 milhão não declarado. Ciro Nogueira visitou a Odebrecht e pediu o dinheiro em 2014.

Foi delatado, também, por um dos ex-executivos que no ano de 2010 Ciro Nogueira havia recebido R$ 300 mil. O repasse da doação não foi declarado.

A PF colheu o depoimento do senador Ciro Nogueira em setembro do ano passado. Em janeiro, o documento foi anexado ao inquérito no Supremo Tribunal Federal. O presidente do Progressistas declarou que o ex-executivo Cláudio Melo Filho ofereceu, em um primeiro momento, a doação oficial de R$ 5 milhões ao partido Progressistas. Porém, o ex-executivo havia colocado que por questões da Odebrecht ter extrapolado os valores de doações oficiais, a empreiteira poderia doar apenas de forma não contabilizada.

“Para solucionar o problema foi proposto por Melo Filho a realização de doação na forma não contabilizada, que por sua vez ocorreria em pagamentos em contas fora do Brasil, não se recordando se nos mesmos valores de R$ 5 milhões”, depôs o senador Ciro Nogueira.

fonte ; parlamento Piauí

Governadores discutem sobre Fundo de Segurança e ICMS de energia limpa

Nesta terça-feira (6), acontece em Brasília, mais um encontro dos governadores. O evento tem como pauta discussões para ações na área de segurança pública e recursos para estados e municípios, com a mudança na tributação de energia limpa e telecomunicações.

Os dois projetos são de autoria do deputado federal Júlio César (PSD), que foi convidado para participar doencontro como coordenador da bancada nordestina, e defender os argumentos para a aprovação dos dois projetos em tramitação no Congresso Nacional.

“Propusemos esse Fundo Nacional de Segurança Pública, porque tem o fundo para Educação e para a Saúde, mas não tem para a segurança. Nossa proposta destina 2% do arrecadado com o Imposto de Renda e o IPI para o fundo, sendo a distribuição entre os estados, pelo mesmo critério do FPE”, explicou o parlamentar.

O Fundo Nacional de Segurança Pública, segundo o deputado do PSD, será em torno de R$ 8 bilhões. O objetivo é que esse fundo possa compensar os estados mais pobres e garantir investimentos de segurança. Para se ter uma noção da importância desse projeto de Lei, para o Piauí seriam destinados cerca de R$ 300 milhões anualmente. Esse valor atenderia a carência de investimentos na área. “Vemos o problema se insegurança no interior e que tem se agravado cada vez mais”, comentou Júlio César.

Em relação a outra proposta de emenda à Constituição, que trata da cobrança do ICMS sobre as matrizes energias limpas: eólica e solar. A lei previa a cobrança do imposto no destino, onde há o consumo. A proposta do deputado Júlio César é inverter isso, para que o imposto fique na origem da produção.

“Hoje produzimos mais energia do que consumimos. Por isso, é importante que essa cobrança fique aqui. Quando a barragem de Boa Esperança iniciou a operação, produzia 230 megawatts de energia que abastecia o Piauí, Maranhão e Ceará. Hoje abastece apenas 25% do Piauí. Mas temos a produção de energia eólica e solar que dá quase dez vezes a produção de Boa Esperança e exportamos energia”, explicou o deputado.

Segundo Júlio César, a energia produzida pelos ventos e pelo sol, transformou o Piauí no terceiro maior produtor de energia do país. E frisou que é importante que a cobrança do ICMS fique aqui, para que os prefeitos, principalmente na região do Semiárido, onde estão instaladas as usinas eólicas e solares, tenham o valor adicionado da cobrança. “E o crescimento da arrecadação é importante, porque beneficia a todos os municípios na redistribuição do ICMS. Na reunião para tratarmos dessas duas matérias temos quinze estados que são beneficiados e que estão de acordo”, finalizou.

Petistas defendem chapa pura para eleger sete deputados

A formação das chapas proporcionais foi debatida em encontro do PT neste final de semana e o deputado estadual Aluísio Martins (PT) informou que o entendimento interno do partido é de que não sejam feitas coligações para concorrer às eleições deste ano com chapa pura.

De acordo com o deputado, a ideia predominante dentro do partido aponta para a formação de chapa própria, sem outros partidos. Para que o PT possa se fortalecer e eleger até sete deputados, é que Aluísio Martins defende que cada partido possa ter a sua estratégia, assim como os petistas.

“Nas reuniões internas temos defendido que cada partido tem que ter a sua estratégia, então o PT tem a estratégia dele. Sabemos que em 2020 não vai mais ser possível fazer coligações e a nossa ideia dentro do PT é antecipar esse cenário, porque em uma chapa própria o PT teria condição de eleger entre seis a sete deputados”, esclareceu Aluísio Martins.

O encontro do PT aconteceu nessa sexta e sábado, 2 e 3 de fevereiro, no Sindicato dos Bancários, na zona norte de Teresina.

Quanto a importância de manter a independência em relação a outras siglas, o parlamentar explica ainda a chapa pura do PT também evitaria que o partido perdesse volume. Ele diz que o PT vai defender a orientação junto ao governador e partidos da base.

“Então é uma situação que a gente vai insistir juntamente como o governador, com os partidos aliados e é importante que cada partido tenha a sua autonomia, e o PT vai continuar insistindo no sentido de se fortalecer, porque sabemos que é um partido que tem toda uma capilaridade no Estado e não seria interessante a gente diminuir de tamanho, isso se a gente for fazer parte de um chapão”.

fonte ;Parlamento Piauí

 

 

PT reafirma total apoio à reeleição de Regina Sousa ao Senado

O Partido dos Trabalhadores do Piauí reafirma apoio unânime à reeleição de Regina Sousa ao senado, durante Encontro Estadual neste sábado (03). Segundo o presidente estadual do PT Piauí, deputado federal Assis Carvalho, o partido irá assegurar o direito da senadora petista de concorrer às eleições deste ano.

“Nós não estamos querendo limitar ninguém que queira concorrer às eleições para o senado, até porque a lei não limita o número de candidaturas, porém nós queremos assegurar o direito dela ser candidata, ou seja, a partir da reunião do diretório de hoje a candidatura de Regina Sousa não está em negociação, é uma questão decidida”, afirma o deputado Assis Carvalho.

O próximo passo, segundo Assis Carvalho, será levar para apreciação de cada delegado petista a decisão do partido em apoiar a candidatura de Regina Sousa. “Acredito que a decisão será apenas reafirmada, até porque a escolha foi feita por aclamação, por unanimidade”, pontua.

A reunião de delegados em que serão discutidas táticas eleitorais para este ano de 2018, dentre outros assuntos, está prevista entre os dias 4 e 18 de março.

Durante os dois dias de encontro, realizado no Sindicato dos Bancários, marcaram presença o governador Wellington Dias – que fez uma análise da conjuntura política na perspectiva de 2018 – membros da executiva estadual do PT Piauí, representantes de movimentos sociais, sindicais e populares e militância petista.

Em pauta estava à prestação de contas da gestão e atividades realizadas; aprovação das diretrizes do processo de definição de candidatura do partido para este ano; eleições 2018 e o ex-presidente Lula condenado em segunda instância pelo TRF4 a 12 anos de prisão.

Wellington destacará apoio dos deputados na abertura do ano legislativo

O ano legislativo 2018, da Assembleia Legislativa do Piauí (ALEPI), será aberto nesta segunda-feira (05). O momento marca a retomada dos trabalhos dos deputados estaduais após o recesso e a leitura da mensagem anual do governador Wellington Dias aos parlamentares, às 9h.

Através da mensagem, o chefe do executivo irá prestar contas da sua atual gestão. “O Piauí, assim como todos os estados, enfrentou grandes dificuldades em 2017, ano marcado por um momento de excepcionalidade econômica e política, que promoveu a retração das finanças de Estado maiores e mais ricos”, explica.

O governador destaca ainda em sua mensagem que o apoio dos parlamentares foi imprescindível para a sua governabilidade. “Vivemos neste ano um cenário de dificuldades, contenção e busca de equilíbrio permanente. Coube ao nosso governo, limitar gastos e discernir sobre as atividades essenciais que precisaram ser mantidas e ampliadas, para que a população tivesse acesso a serviços básicos de qualidade. Todas as decisões foram tomadas em comum acordo com a representação legislativa”.

Ainda segundo a mensagem, a eficiência administrativa foi obtida graças ao apoio da Assembleia Legislativa, através de seus votos em projetos de leis e emendas constitucionais, que permitiram ao Governo do Estado uma gestão capaz de garantir crescimento, equilíbrio e tranquilidade ao povo piauiense.

O governador destaca ainda o trabalho de secretários de Estado e demais gestores. “O equilíbrio das contas públicas e o controle de despesas foi a marca da gestão do Governo em 2017 por meio da Unidade de Gestão e Programação dos Gastos Públicos. Contamos com a participação da SEFAZ, SEPLAN, CGE e PGE, cumprindo o papel de subsidiar os gestores dos órgãos do Estado com informações técnicas e monitoramento dos gastos para gerar economicidade aos cofres públicos”.

A mensagem fala ainda sobre os avanços do trabalho das PPPs (parcerias público-privadas), da evolução da arrecadação própria do Estado, do trabalho realizado com o enfrentamento da violência contra a mulher, da criação de novas vagas para atendimento de dependentes químicos, melhorias na educação pública de tempo integral e aumento de vagas para o ensino superior. “No ensino superior o estado se esforçou para que melhorias fossem realizadas mesmo num ano em que a educação sofreu com cortes do governo federal. Em 2017, houve ampliação e diversificação nos cursos oferecidos pela UESPI”, pontua o gestor.

Por Marcelo Rocha 

Luciano Nunes e aliados da oposição se reúnem com Robert Freitas

O deputado estadual e pré-candidato a governador, Luciano Nunes (PSDB), acompanhado dos deputados Robert Rios (PDT) e Firmino Paulo (PSDB), e do vice-governador Wilson Martins (PSB), esteve em José de Freitas, neste domingo, visitando o ex-prefeito e ex-deputado estadual Robert Freitas. A cidade realiza, tradicionalmente no domingo antes do carnaval, o Zé Pereira.

O deputado estadual emedebista João Mádison, também, esteve na residência do ex-prefeito de José de Freitas. João Mádison tem o apoio político do ex-prefeito.

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, Robert Rios, considerou bastante positiva a visita e a conversa com o líder político Robert Rios. Segundo ele, a oposição está ficando cada dia maior e mais forte.

O presidente estadual do PSDB, deputado Firmino Paulo, revelou que a recepção da população piauiense ao pré-candidato ao Governo do Estado, Luciano Nunes, tem lhe chamado bastante atenção. Para ele, é uma resposta de que o povo quer uma mudança na forma de governar o Piauí.

Sobre o encontro com o ex-prefeito de José de Freitas, Robert Freitas, Firmino Paulo considerou positiva. O tucano considera que o povo e as lideranças políticas do interior do Estado têm aguardado um nome para concorrer com Wellington Dias a disputa pelo governo. E esse nome a oposição tem para apresentar.

Em José de Freitas, o deputado Luciano Nunes conversou com a população e concedeu entrevista em uma emissora de rádio da cidade.

Por Marcelo Rocha

Bloco da União

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), e a primeira-dama, Luci Silveira (Progressistas), receberam em casa, na tarde deste sábado, os deputados estaduais Rubem Martins (PSB), Robert Rios (PDT) e Luciano Nunes (PSDB), o ex-governador e presidente do PSB estadual, Wilson Martins, e o vice-prefeito Luiz Júnior. Todos prontos para o Corso 2018. O grupo foi batizado de “Bloco da União”. O Corso de Teresina provoca, também, forte aliança para as eleições 2018.

Por Marcelo Rocha

Preocupado com a possibilidade de o PSB se aliar ao PT Wilson Martins também cogita deixar o PSB

A tendência de o PSB fechar um acordo de aliança com partidos de esquerda nas eleições de 2018, principalmente o PT, pode levar o partido a ficar quase completamente esvaziado no Piauí. Além da bancada federal e dos deputados Wilson Brandão e Gustavo Neiva, o principal líder do PSB no Piauí pode também deixar o partido e fechar a porta. O ex-governador Wilson Martins já cogita trocar de partido em 2018 e se candidatar por outra legenda.

O destino do ex-governador, que é candidato ao senado, porém, não é o DEM, partido que seguirão os deputados Heráclito Fortes (este já desfiliado) e muito provavelmente Átila Lira. Martins, caso decida deixar o PSB, deve seguir o sobrinho Rodrigo Martins, o terceiro deputado eleito pelo partido em 2014, que está negociando seu ingresso no PRB. Como deputado federal, Rodrigo Martins tem o privilégio de assumir o comando partidário e indicar Wilson Martins como presidente no estado.

A idéia inicial, discutida com Fortes e Lira, era o ex-governador ingressar no DEM mas a possibilidade de não ter o controle do partido fez Martins recuar. O comando do DEM no Piauí passaria para as mãos de Fortes e depois o sucederia Átila Lira. Alijado desse acordo, Martins preferiu permanecer no PSB o qual tem total controle. Como não o agrada a idéia de o PSB se aliar ao PT no plano federal, mesmo que a coligação não seja vertical, Martins prefere outra legenda.

Fonte: portalaz.com.br

Orçamento 2018 é aprovado pelos deputados estaduais

Na apreciação estão as condições para apresentação de emendas individuais e coletivas, do relator. De acordo com o projeto, a receita é estimada em R$ 12.956.787.305 (doze bilhões, novecentos e cinqüenta e seis milhões, setecentos e oitenta e sete mil e trezentos e cinco reais). Sendo que, depois da dedução das contribuições do Estado ao Fundeb (Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica) e as transferências constitucionais aos municípios, resulta em dez bilhões, quinhentos e oitenta e quatro milhões, quinhentos e sessenta e nove mil e quinhentos e dezoito reais.

As emendas impositivas apresentadas pelos deputados foram acatadas em suas plenitude. Severo citou a emenda aditiva número Um, de sua autoria, que retira quinhentos mil reais dos encargos, da origem, colocando-os no Fundo de Saúde. “A justificativa dessa dotação é mais simbólica, pois destina os recursos da Lei Orçamentária no valor significativamente inferiores, ao custo das ações correspondentes, porém de relevância incontestável, acerca de futuras suplementações”, frisou. A emenda aditiva de número 2, explicou o relator, que se trata de uma emenda coletiva, com previsibilidade no parágrafo terceiro do artigo 17 da Constituição Estadual, combinado com co o artigo 116 e 120 da Resolução 429, de dezembro de 2010, do regimento interno, colegiado da Alepi, representado por todos os seus membros, resolve apresentar propositura a emenda coletiva ao Projeto de Lei Orçamentária.

De acordo com Severo Eulálio, o objetivo é alocar recursos orçamentários da ordem de R$ 3,5 milhões, visando assegurar a implementação de melhoria no funcionamento das unidades do Corpo de Bombeiros em todo o estado, através da qualificação de pessoal do bombeiros, para prestação e atividades do seus serviços, aquisição de equipamentos modernos, reforma e construção de suas estruturas físicas.

Ele diz ainda que a presente emenda não onerou ao Projeto de Lei Orçamentária, considerando que as fontes de recursos para atender tais demandas, foram originadas da anulação parcial da Coordenadoria de Comunicação Social. Outra emenda modificativa foi a de número três, também de autoria do relator, que trata do demonstrativo da despesa por unidade orçamentária e fonte, justamente da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, segundo ele, em virtude do advento da Lei 7.065, de dezembro de 2017.

“Propomos que seja alterado projeto de lei, com o objetivo de extinguir a unidade gestora da Fundação Rádio e Televisão Deputado Humberto Reis da Silveira, e transferir as ações orçamentárias com respectivas dotações da unidade gestora, para a Assembleia Legislativa do Estado do Piauí”, explicou.

Outra emenda modificativa foi a de autoria do deputado Themístocles Filho (PMDB) que aloca, dentro da Secretaria de Transportes e fazendo um remanejamento da própria Secretaria, destinando um valor de aproximadamente R$ 3,5 milhões, para o alargamento de uma estrada que liga o município de Joaquim Pires a Esperantina. O objetivo da obra é devido ao grande número de acidentes que vem ocorrendo no citado trecho.

Ao final da exposição do relator, o deputado Gustavo Neiva (PSB) indagou sobre a legalidade de no Orçamento constar o percentual de 15% como participação da Receita em operação de crédito, mas os técnicos das Secretarias de Fazenda e Planejamento, que estavam presentes na Comissão de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação explicaram, baseados na Constituição Federal, sobre a legalidade do percentual.

fonte: Parlamento Piauí

Recent Posts