Politicando

Politicando

Marcelo Rocha é jornalista há 31 anos. Já trabalhou nas emissoras de Televisão no Piauí, TV Clube, TV Antena 10, TV Meio Norte, TV Antares e TV Delta. Foi diretor-geral da TV Delta e Costa Norte, na cidade de Parnaíba. Já esteve nos jornais, O DIA e Meio Norte. Já fez programas radiofônicos na rádios Pioneira AM e Difusora AM, em Teresina. Atualmente, apresenta um programa na Jockey FM e é jornalista e colunista no jornal Diário do Povo.

Mão Santa convida Freitas Neto para ser candidato

0

O ex-governador do Piauí e prefeito de Parnaíba, Mão Santa (SD), está com o projeto de apresentar um candidato ao governo do Estado, sendo oposição de Wellington Dias. Mão Santa já falou com Robert Rios (PDT). E no final de semana, ele convidou o ex-governador Freitas Neto para ser o candidato da oposição. Freitas Neto não disse sim, nem não.

Médicos de Fidel

0

Médicos cubanos chegaram para trabalhar no Programa Mais Médicos, no interior do Piauí. Desta vez, são 13 profissionais de saúde da ilha caribenha. Atualmente, o estado possui 243 médicos cubanos, do total de 352 médicos cubanos, que participam do programa.

Prefeitos querem Júlio César senador

0

Vários prefeitos piauienses apoiam o nome do deputado federal Júlio César para o cargo de senador. Cada dia, o nome do presidente estadual do PSD fica forte para o Senado. A possível candidatura de Júlio César ao Senado é mais uma preocupação que chega para o governador Wellington Dias.

Deputado acusa Governo de desviar mais de meio milhão de reais de obra em Piripiri.

A oposição ao governador Wellington Dias (PT) apresentou mais uma denúncia de desvio de recursos das obras do Polo Têxtil de Piripiri, feito pelo governo estadual. O deputado Marden Menezes (PSDB) declarou que o secretário de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, deputado estadual licenciado Nerinho (PTB), anunciou que na obra foram investidos R$ 999.861,00 (novencentos e noventa e nove mil, oitocentos sessenta e um reais). Marden Menezes afirma que não foi investido nem R$ 150 mil.

“Qualquer pessoa pode ver que ali não foram aplicados nem R$ 150 mil. Gostaríamos de fazer que registro do lamentar mais escândalo, inclusive para o conhecimento do senhor governador porque cabe o próprio executivo a tomada de providências para coibir esse tipo de abuso”, declarou o deputado tucano.

O parlamentar do PSDB aproveitou e cobrou do Ministério Público do Estado do Piauí e do Tribunal de Contas do Estado uma investigação mais profunda da denúncia que apresentou no plenário da Assembleia Legislativa.

fonte;Parlamento Piaui

O problemático concurso da PM

0

O Ministério Público do Piauí expediu recomendação ao secretário estadual de Administração e Previdência, Franzé Silva, e ao Comandante Geral da PM, Coronel Carlos Augusto, para que seja publicada, imediatamente, a relação dos classificados para a 2ª etapa do concurso da Polícia Militar. O Ministério Público sugere que sejam incluídos todos os candidatos que alcançaram, cumulativamente, a pontuação igual ou acima de 60% do total de pontos da prova objetiva e que tiveram, no mínimo, 50% do total de pontos de cada uma das matérias e estejam no limite de duas vezes o número de vagas previstas.

Wellington e Themístocles se reúnem mas não revelam a pauta do encontro

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, Themístocles Filho (MDB), não dirigiu os trabalhos no legislativo piauiense na manhã desta quinta-feira, dia 12. Themístocles Filho teve um importante encontro e uma necessária reunião. Ele fez uma visita ao governador Wellington Dias (PT), na residência oficial.

Integrantes do MDB consideram que o governador Wellington Dias está, há dois meses, empurrando a definição da vaga de vice para a legenda. O partido quer o nome de Themístocles Filho garantido para a vaga de vice e que o governador confirme pela própria boca.

Após a reunião entre os dois, o deputado emedebista almoçou com os deputados João Mádison e Zé Santana, ambos do MDB, em um restaurante na zona Leste de Teresina. O local é bem familiar aos emedebistas. O filho de João Mádison é proprietário do estabelecimento.

Entretanto, nenhum dos três revelaram o que foi, de fato, conversado entre Wellington Dias e Themístocles Filho. Os outros deputados estaduais emedebistas Pablo Santos, Severo Eulálio e Liziê Coelho não participaram do almoço. Os três tinham viajado para o interior do Estado.

 

fonte;Parlamento Piaui

Maia Filho distribui Vade Mecum gratuitamente

O suplente de deputado federal Maia Filho (PP), o Mainha, organizou um Vade Mecum que será distribuído gratuitamente, através de cadastro prévio. A obra reúne mais de 500 páginas, incluindo Códigos, Estatutos, Legislação Complementar e Súmulas atualizados até dezembro de 2017. Segundo Mainha, o objetivo é colaborar com o dia a dia dos estudantes e profissionais de Direito no Estado do Piauí.

O cadastro que poderá ser feito por meio das redes sociais de Maia Filho facebook.com/maiafilho e instagram @maiafilho11, estará aberto para quem desejam adquirir um exemplar da obra. Terão prioridade estudantes regularmente matriculados no curso de Direito de instituições públicas de Ensino Superior e alunos beneficiados com os programas Prouni e FIES. Além disso, bibliotecas de faculdades públicas e privadas também receberão exemplares.

“Sou graduado em direito e sei como uma obra dessas é importante na vida destes estudantes e profissionais da área jurídica. Espero assim contribuir para a educação e formação destes jovens estudantes, que logo serão profissionais e contribuirão para o crescimento e desenvolvimento do nosso estado”, comentou.

A tiragem contou com impressão da Coordenação de Serviços Gráficos da Câmara dos Deputados, que disponibiliza uma cota gráfica para impressão de livros pelos parlamentares. Por meio da cota, cada parlamentar pode solicitar a confecção de material de papelaria oficial e a impressão de documentos e publicações.

Rodrigo Martins leva micro tratores para José de Freitas

0

O município de José de Freitas recebeu 10 micro tratores. Foi uma emenda parlamentar, do deputado federal Rodrigo Martins (PSB), no valor de R$ 100 mil, via Codevasf. Quatro comunidades serão atendidas. O prefeito Roger Linhares, vereadores, secretários municipais e representantes da Codevasf e SESI participaram da solenidade de entrega dos micro tratores.

MPF pede aumento de multa para Bolsorano por preconceito a quilombolas

O  Ministério Público Federal (MPF) pediu ao Tribunal Federal da 2ª Região (TRF2) que aumente o valor da multa ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSL/RJ), por declarações ofensivas a comunidades quilombolas. Em outubro do ano passado, a 26ª Vara Federal condenou o parlamentar a pagar R$ 50 mil pelas declarações.

O MPF pediu, no entanto, que o valor seja aumentado para R$ 300 mil, seis vezes mais do que a multa inicial. De acordo com o órgão, o valor da multa estabelecido pela Justiça, que deve refletir a gravidade do fato e a capacidade econômica do réu, não foi proporcional à conduta do parlamentar.

Na ação, a Procuradoria da República diz que Bolsonaro fez declarações contundentes contra quilombolas durante uma palestra no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro, em abril do ano passado. O deputado disse que o “afrodescendente mais leve” de uma comunidade quilombola paulista “pesava sete arrobas” e completou dizendo que os quilombolas não faziam nada e nem para “procriar servem mais”.

Além disso, na denúncia, o MPF diz que Bolsonaro afirmou: “Alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Não, porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual a essa raça que tá aí embaixo, ou como uma minoria que tá ruminando aqui do lado.”

O MPF destacou que Bolsonaro não demonstrou arrependimento pelas declarações, apesar de sua grande repercussão. Além do aumento do valor da multa, o TRF julgará um recurso da defesa, que alega que Bolsonaro tem imunidade parlamentar, e um recurso da Fundação Cultural Palmares, que pede maior indenização e honorários para a advocacia pública.

A multa, conforme estabelecido pela Justiça, deve ser paga ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, que é gerido por um conselho federal para reparar danos coletivos em áreas como meio ambiente e patrimônio histórico.

Além do processo civil, as declarações de Bolsonaro no Clube Hebraica deram origem a uma ação penal proposta em abril passado pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal, em razão da prerrogativa de foro. O deputado foi denunciado por racismo e discriminação contra quilombolas, indígenas, refugiados, mulheres e Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros.

A assessoria de imprensa do deputado, por enquanto, não se pronunciou sobre a ação do MPF.

Robert e Wilson não temem poderio financeiro de Ciro e Marcelo

Os dois candidatos ao Senado na chapa do deputado Luciano Nunes, Robert Rios (DEM) e Wilson Martins (PSB) criticaram de forma atuação dos atuais senadores do Piauí. Segundo eles, é chegada a hora de retomar o respeito no Senado.

“Hoje a oposição tem muitas legiões e somos fortes. O povo tem tanto ódio e ira desse governo que não sei se o Wellington vai para o segundo turno. Para o Senado vai ser uma eleição de sentimento e estrutura. O governador tem dois senadores que representam estrutura, dinheiro, corrupção, Lava Jato, construtora Jurema e temos eu e Wilson Martins que representa o sentimento do povo. Queremos resgatar o povo do Piauí desse mar de lama”, disse Robert Rios.

Perguntado sobre o que se pode esperar de um Robert Rios senador, ele ressaltou que o respeito e o fim das chacotas à qual os atuais senadores do Piauí são vítimas.

“Primeiro lealdade, segundo sinceridade. Vou devolver o respeito ao povo do Piauí no Senado. Estamos sendo debochados no Senado. Somos apenas o senador da Lava Jato, a tiazinha do café e o véin dançador, vamos colocar o Piauí na mesa para termos respeito. Vamos resgatar os valores de cada homem e cada mulher”, destacou.

Sobre a operação da Polícia Federal na secretaria Estadual de Educação, o deputado Robert Rios disse que novas informações serão divulgadas nos próximos dias pela PF.

“Já era esperada, venho a mais de ano denunciando. É gravíssimo, muita coisa vai acontecer. O que aconteceu na Educação, aconteceu na Saúde, nas obras do Estado, e muito calçamento superfaturado. 22 presos somente na primeira operação. Começou aqui uma Lava Jato. A polícia já colheu provas graves contra o Governo, é só esperar o momento certo”, finalizou.

“O governador vai ter um senador que tem história de vida, que lutou e trabalhou para ser médico. Tem nossa história, nosso passado de muita luta, que venceu na vida com muito estudo, honrado o que aprendi com meus pais no Sertão do Piauí, que tem que honrar a palavra. Um compromisso assumido tem que ser cumprido. Somos ficha limpa, e podemos ter a honra de transmitir para o povo do Piauí um mandato honrado. Temos capacidade de articular, de argumentar, junto com outros senadores da República. Vamos arregimentar as forças e fazer com que o Piauí receba os recursos necessários para fazer as mudanças que precisam. Precisamos fazer com que o Piauí deixe de ser a mesmice, que a todo o instante a Polícia Federal ocupa os prédios públicos fazendo busca, apreensão e colocando em investigação. Precisamos deixar de viver esse momento de incredibilidade. O político que perde a credibilidade perde o apelo popular. Com experiência e inteligência vamos construir um Piauí melhor. Vamos valorizar o servidor público, dar oportunidade aos jovens, melhor a política do carro-pipa”, disse Wilson Martins.O ex-governador Wilson Martins aposta na mítica de que é um candidato ficha limpa. Reiteradas vezes ele destacou essa frase em suas entrevistas. Segundo ele, o Piauí precisa de um senador com poder de diálogo e de voto. Ele disse ainda que irá apostar também em sua história de vida para conseguir levar sua mensagem aos piauienses.

Sobre a diferença de estrutura nas campanhas, Wilson Martins disse que não teme o poderio financeiro de Ciro Nogueira e Marcelo Castro. Ele informou eu o que vai valer é o sentimento de mudança e renovação por parte do povo.

“Não tenho dúvidas que conseguiremos. O que tá em jogo é nossa vida, a história do Piauí, a mudança que precisamos fazer. Não podemos passar a vergonha que estamos passando, de ter a Secretaria de Educação sofrendo intervenção da Polícia Federal. Precisamos de uma força renovadora, ficha limpa, decente, e esse nome é Luciano Nunes. Coloco meu nome como senador para que possamos fazer valer voz e voto de um senador. Precisamos ter capacidade de argumentar, de dialogar, para que um senador do Piauí tenha o mesmo peso do senador de São Paulo. Precisamos de respeito, é um descaso a segurança, o desrespeito com os militares, os agentes penitenciários, com todos os servidores que suam a camisa. Quero ser um senador para fazer valer a voz e o voto de senador da República”, finalizou.

Por Marcelo Rocha

Recent Posts