PARIS – As gigantes da aviação Airbus e Bombardier anunciaram um acordo que vai facilitar a competição com a americana Boeing. A europeia Airbus vai assumir o controle majoritário da linha de produção das aeronaves da série C da Bombardier, que engloba aeronaves de médio porte, de até 150 assentos.

A operação ocorre no momento em que os Estados Unidos decidiram impor uma tarifa de importação de 220% aos jatos da canadense Bombardier, por considerar que a empresa se beneficia de subsídios e por isso afeta a competitividade da Boeing. A americana acusa a canadense de fabricar seus aviões graças a essa ajuda e de ter vendido unidades para a Delta Air Lines mesmo com perdas.

O acordo prevê que a Airbus terá 50,01% da participação na CSALP, entidade que coordena o programa da linha C. A Bombardier, por sua vez, terá parcela de 31%, enquanto a Investissement Québec responderá por 19%. A produção permanecerá em Quebec, no Canadá.

“Este é um acordo em que todos ganham. Não tenho nenhuma dúvida de que nossa associação com a Bombardier vai impulsionar enormemente as vendas e o valor do programa”, afirmou o presidente da Airbus, Tom Enders.

Já o diretor executivo da Bombardier, Alain Bellemare, disse estar “feliz” em receber a Airbus no programa C-Series:

“A Airbus é o sócio perfeito para nós, para Quebec y para Canadá”.

Com o acordo, a Airbus entra num segmento no qual não estava presente, já que sua linha de médio porte vai de 140 a 220 assentos. A vantagem para a empresa europeia é que a aeronave entrou em operação em 2016, já tem certificação e não exige investimentos elevados no futuro.

Segundo um especialista do setor, uma aproximação desse tipo permite que a Airbus tenha “uma grande oportunidade para renovar sua oferta de aeronaves de 100 a 150 assentos”, a um custo menor, “e que permite conservar um pé no mercado”.

fonte : O Globo

 

Responder