Infelizmente Picos já contabiliza 13 mortes violentas em 2017. A cidade registra mais um homicídio. Um jovem foi assassinado na madruga desta quarta-feira (04).

Felipe Lavor dos Santos, foi esfaqueado nas dependências do Picoense Clube, no Centro da cidade , onde era realizado um show beneficente em prol de crianças carentes, que tinha como atração principal o cantor Gabriel Diniz.

Informações preliminares apontam que ele foi atingido por um golpe de faca na altura do peito esquerdo. De acordo com a organização do evento, Felipe ainda chegou a ser socorrido pelo SAMU, mas veio a óbito após dá entrada no Hospital Regional Justino Luz.

Familiares e amigos usaram as rede sociais para lamentar a morte. “É com muita tristeza, angústia e revolta, que venho aqui informar a morte do meu sobrinho que amava muito, Felipe, que foi morto no show no Picoense Clube, por algum marginal, no qual ninguém nem sabe quem foi que esfaqueou meu sobrinho no coração”, postou no Facebook, Ana Karina Aquino Lavor, tia de Felipe.

Organização do evento lamenta a morte do jovem

A organização do evento lamentou a morte de Felipe Lavor, afirmando que foi montado um forte esquema de segurança para o show onde todas as pessoas que entravam no local passavam por uma revista pessoal. “Além disso, dezenas de seguranças particulares estavam presentes no interior do Picoense. Bem como policiais militares no entorno do clube ”. A organização disse ainda que o SAMU foi acionado imediatamente após o ocorrido. “Esperamos que as autoridades competentes consigam elucidar o caso. Toda organização do evento se solidariza com a família. O evento foi realizado de acordo com as normas de segurança, pois o mesmo tinha alvará, licença ambiental e apoio da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros”, frisou um dos organizadores.

Décimo homicídio do ano

Essa foi o décimo homicídio registrado em Picos em 2017. Além de Felipe Lavor dos Santos, também foram vítimas de assassinato no município esse ano, o caseiro, Francisco Pereira Sobrinho, que era mais conhecido como “Chico de Munda”, de 81 anos, a dona de casa, Jarnicleide de Holanda Leal, o desempregado, Antônio José da Cruz, o desempregado, Wesley de Almeida, de 23 anos, que era mais conhecido como “Ventinha”, o detento, Reinaldo Lopes de Moura, de 32 anos, o ex-presidiário, Wilame da Silva, que era mais conhecido como “Alemão”, de 29 anos, o menor, Marcos Moreira de Lima, de 17 anos, um homem identificado pela polícia civil como “Romero” e o ex-presidiário, José Fontes Caminha, que era mais conhecido como “Gadinho”.

13ª morte violenta

Outras três pessoas também morreram em confronto com a Polícia Militar, totalizando 13 mortes violentas no município em quatro meses e meio. O assaltante, Mateus “Pirão”, foi morto em confronto com a Força Tática quando realizava um assalto no Posto Total, no Centro, no dia 23 de abril.

Já José Leonardo Silva dos Santos e Edson Barbosa, que era mais conhecido como “Buchecha”, foram mortos em um confronto com homens do 4º BPM (Batalhão da Polícia Militar), na Região da serra do povoado Mirolândia, no último dia 15 de janeiro, após realizarem uma série de assaltos no povoado Lagoa dos Felix e na PI 375, que liga Picos ao município de Santana do Piauí.

FONTE: Jornal O Povo

 

8

Responder