A população que sofre com a seca na área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) poderá ser beneficiada com uma resolução do conselho monetário nacional que prorroga as dívidas rurais no período entre 2012 e 2017. A informação é do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Piauí, deputado federal Júlio César, depois de entendimentos com o presidente da República Michel Temer e o Tesouro Nacional.

Foto: Reprodução

“Essas dívidas agrícolas poderão ser negociadas abatendo juros e multas. O Nordeste vive um ciclo de sete períodos de seca onde o agricultor perde quase tudo. E a Medida Provisória da renegociação das dívidas rurais só abrangia débitos até 2011, agora atende quem teve a safra comprometida até 2017”, explicou Júlio César.

O deputado esteve tratando do assunto com o presidente Michel Temer e confirmou que a medida  incluirá os produtores do semiárido com os mesmos benefícios de prorrogação e renegociação das dívidas rurais.

“Essas providências  são no sentido de amenizar os efeitos da seca, principalmente com a estruturação da produção ligada as atividades rurais, através de crédito com prazos mais dilatados, revisão repactuação das dívidas vencidas e vincendas”, argumentou Júlio César.

Segundo o deputado, já existia uma Medida Provisória que autorizava a  renegociação vale para dívidas contraídas até 31 de dezembro de 2011 com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE) . Os saldos deverão ser quitados até dezembro de 2017. Agora a resolução do conselho monetário beneficia os produtores que contraíram empréstimos entre 2012 e 2017, que terão até 10 anos para o pagamento sem os encargos de multa e juros e sem o impedimento de contrair novos empréstimos.

Fonte: Portal AZ

Responder