Olá queridos(as), de acordo com a proposta desta coluna, que é entre outras coisas, sugerir roteiros de viagens, vou enfocar na matéria de hoje mais um lugar paradisíaco, encantador, que realmente acho, que vale a pena conhecer !
A Nova Zelândia é o país com a menor taxa de contaminação do mundo, 30% da sua superfície é de área natural preservada !
Seus primeiros habitantes e conquistadores os Mauríes, se pareciam com as lendas do filme Mohana, um dos últimos sucessos da Disney e foram os Mauríes que deram a Nova Zelândia também o nome Aoteaaroa, que significa “a terra da cumprida nuvem branca”.
Aqui na Nova Zelândia existem mais ovelhas que habitantes, mas esse lugar mágico nos inspira! É como se nos transportássemos à cenários de filmes de ficção ou aos contos de fadas !
Bosques naturais e floridos,morros vulcânicos, montanhas com seus topos nevados sempre, águas cristalinas, que nos permitem observar espécies de animais como pinguins, focas, belas aves e no seu mar, golfinhos, e ate gigantescas baleias, vistas pelos mais sortudos. Este é um pouco do cenário que encontramos na Nova Zelândia. A terra dos kiwis, que não são apenas a fruta originária desse país, mas a ave que não voa e que deu nome a fruta e até aos seus habitantes que assim se denominam.
Aterrizei em Aukland, e já no museu Temaki Paenga Hira, vimos um dos maiores acervos de seus ancestrais( é belo ver o respeito que eles tem por seus antepassados), mesmo a maioria da população sendo de descendência inglesa, como seus colonizadores, o povo Maurí é respeitado como sua origem. Assim se sentem os new zelandeses ou os kiwis.
O exemplo está no esporte, quem gosta de Rugbby sabe que um dos times mais fortes do mundo all blacks, além dos demais times de origem Maurí , fazem uma saudação para seus ancestrais, antes de começarem a jogar.
Aukland não é a capital, mas é o coração do país, e é a cidade onde existem mais barcos e iates por habitante, no mundo, assim não precisamos detalhar que a Nova Zelândia não é um país de tantas desigualdades, onde vemos retratos de pobreza.
Na capital Wellington, é grande o comercio de roupas e calçados esportivos , os finguers, os tênis de cinco dedos aqui podem ser encontrados em todas as lojas esportivas, para mim não são muito confortáveis, mas eu tenho uns pés muito especiais, para os que gostam de experimentar novidades, vale a pena levar um par desses na bagagem de volta.
Além do comércio , Wellington, com suas praças de esculturas metálicas e modernas, não tem muito para se ver, mas vale a pena conhecer não só pelo seu museu Papa Tongarewa e o estádio dos All Blacks. Mas pelos passeios que se pode fazer em vários tipos de excussões , de barco ou até mesmo para os mais atrevidos por cima. E claro, não deixem de ir a Kaikoura onde se pode ver as baleias e outros animais marítimos.
Vale a pena ir na ilha da Bahia e visitar suas praias, fazer um passeio de barco, depois relaxar em suas termas, vendo imagens únicas de montanhas vulcânicas. Aqui no pacífico uma das maiores belezas são as areias das praias, que conseguem ser mais brancas que as do nosso conhecido Atlântico, contrastando ainda mais com o cenário paradisíaco. Fiji é outra ilha do Pacífico que pode ser visitada nesta mesma viagem.
E falando-se em cenário, também imperdível e uma das coisas mais emocionantes é ir a Mata Mata, onde fica a comarca dos Hobbits. Lá foi gravado o filme do Senhor dos Anéis, que estreou em 2003 e se mantém o cenário até hoje. Podemos tomar uma cerveja no bar da comarca, entre as lembranças cinematográficas e perceber que cada vez mais, o cinema busca cenários reais para seus personagens, longe das fábricas, dos estúdios da época dourada de Hollywood. Aqui a cerveja é a bebida da vez, provavelmente pela tradição inglesa, a cerveja é suave e pode-se encontrar inúmeras opções.
Tinha que sugerir esse roteiro e compartilhar com vocês, porque essa viagem ficou marcada para sempre na minha vida, não só por ser a antípoda (pontos diametralmente opostos, regiões situadas do outro lado da Terra,ou longínquas) do país onde resido, a Espanha,(enfrentei entre conexões, mais de 30 horas de voos ) mas pela beleza do lugar !
Essa viagem a Nova Zelândia, esse mergulho na cultura do pacífico é para se fazer pouco a pouco, com calma , sem perder os detalhes, sem deixar de explorar com seus próprios olhos tamanho presente da natureza, não é uma viagem para poucos dias, nem vou dizer que seja barata, mas é uma viagem que vale a pena, marcou tanto nossa vida, que eu e meu marido fizemos tatuagens Maurí , com a imagem da ave do Kiwi, para lembrarmos  que em nossos roteiros, estivemos e pretendemos retornar ao paraíso.

Patrícia Cassemiro 

Responder