O mundo vai evoluindo e com essa evolução, acompanham os problemas. A cada dia que passa, é necessário que pensemos como enfrentar tais situações e como solucioná-las.

Quando o problema diz respeito à saúde corporal, logo buscamos um médico , pois não devemos e nem podemos nos auto medicarmos . Com isso, estamos buscando salvaguardarmos o nosso maior bem, “A VIDA”.

Depois da vida surgem dois outros bens que são imprescindíveis ao ser humano: “A LIBERDADE e o PATRIMÔNIO”.

Em relação a estes bens a figura do advogado se faz muito importante para a atuação daquele que teve o direito ameaçado ou violado, ou teve sua liberdade cessada ou ameaçada.

O mundo de hoje é bem diferente de 20, 30, 40 ou 50 anos atrás, onde a ética, a moral, os bons costumes imperavam, principalmente a palavra dada, esta valia muito mais do que qualquer escrito. Era sinônimo de garantia, de certeza, de concretude.

Hoje estamos em um mundo onde todos esses valores foram renegados e aí surgiu o mundo dos espertalhões, onde as pessoas querem se dar bem em detrimento do outro, castrando às vezes a liberdade ou subtraindo do outro os bens que este possui na busca do enriquecimento ilícito. Enfim, o que prevalece é o se dar bem, não importa em prejuízo de quem.

Em face disso nada melhor do que termos cautela principalmente nas nossas atividades e negócios que realizarmos no cotidiano. Daí porque a importância da figura do advogado no nosso dia a dia. Tornou-se ele assim um anjo da guarda para o cidadão e protetor do Estado Democrático de Direito.

Devemos, pois, assim como quando temos um problema de saúde procuramos um médico, quando formos realizar qualquer ato, negócios, etc., que exija a intervenção desse profissional “ADVOGADO”, consulte-o primeiro antes de tomar uma decisão, não deixe para depois, pois ele pode evitar que você realize, por exemplo, um péssimo negócio ou tenha prejuízo.

Consultá-lo antes é sinônimo de segurança; pagar-lhe uma consulta é muito mais barato do que a promoção de um processo perante o Judiciário.

NUNCA ESQUEÇA DE QUE O DIREITO NÃO SOCORRE AOS QUE DORMEM!

Por Damásio Araújo

Responder