Vez por outra me perco em reflexão sobre qual assunto escrever. Acreditem, é um trabalho árduo para que o impecável esteja presente. Acerca de mil assuntos que, aqui eu poderia trazer, renovei meu lado observador e num momento cotidiano ouvi certos dizeres de alguém desconhecido que passara por mim na condição de pedestre: “Certo é Maquiavel ao dizer que é melhor ser temido que amado”, pronto, de mil assuntos que minha mente cozinhava num tom perfeito de Grand finale, encontrei algo interessante de se comentar… Liderança.

Contudo, não estamos falando do modo liderar, mas um perfil inovador de liderança. Cheguei em uma conclusão provocadoramente sensata, pra efeito de êxito – Em qual ramo quiser galgar – seja um idiota. Você não leu errado, desde já antecipo.

Do grego “idiótes”, a palavra idiota significa tolo, pateta. Tal termo evoluiu para atender aos novos significados depreciativos como ignorante, imbecil ou sem educação. Mas nesta breve vida, quem realmente quiser gozar dela com plenitude, não bastará apenas escolher seus inimigos ou lutas, terá também que usar de artimanhas para bem lutar com seus ditos inimigos. Nelson Rodrigues já proferia: “O artista tem que ser gênio para alguns e imbecil para outros. Se puder ser imbecil para todos, melhor ainda.” Trazendo para uma outra frase, ainda mais conhecida, “o mundo é dos espertos”. Ou você se utiliza de sua idiotice para fugir dos olhares gananciosos e carnívoros, ou você sucumbirá sem ao menos tocar em seu próprio corpo numa singela forma de despedida. Quem não é visto, não é lembrado, mas quem não quiser ser espionado ousará não ser avaliado. Simples assim, meus caros.

Ataraxia, do termo grego ataraxía, introduzido por Demócrito (c. 460-370 a.C.), significa tranquilidade da alma, ausência de perturbação. É um conceito fundamental da filosofia epicurista e dos céticos, e pode traduzir-se como imperturbabilidade, ausência de inquietação ou serenidade do espírito. Frente ao exposto e as cousas adversas, todo aquele que quiser ter como módulo de escape, a saída dos jogos manipulativos, terá que se passar por um imbecil. Quem será a pessoa dita “superior” ou “inteligente” e “influente” que perderá tempo com um idiota, ainda que não o seja? Quem perderá tempo manipulando pessoas que nem sequer sabem onde estão, quando na verdade desenharam os mapas da esperteza? Só é manipulado ou iludido, quem quiser. Todo aquele que, no ato de querer livrar-se da manipulação e ilusões, desenvolver para si mesmo a arma da idiotice, todos os seus adversários mudarão de foco e esquecerão sua existência, dando- lhe caminho amplo para que você possa lograr êxito em seus planos sem interrupções.

Maquiavel, com certeza não estaria errado, mas reformularia esta frase sob observância destes tempos modernos. É melhor a imbecilidade falsa que seu legado ofuscado por sua aparente autenticidade.

Sejamos autênticos, mas conscientes que, por muitas vezes, esconder nossas armas é parte estratégica deste embate de concorrência profissional, estudantil, social. São embates desta escala que, num ato de seleção racional, confirma os valores sábios de uns mais que outros.

Pra efeito de êxito, seja um idiota, quer dizer, mostre que superficialmente você está sendo manipulado, quando na realidade quem manipula é você. Pra efeito de êxito, seja um idiota, quer dizer, contemple pra si mesmo sua sabedoria e audácia sem ser ofuscado pelos outros, longe dos holofotes invejosos da carne humana. Todo fator negativo é parceiro de um lado positivo. Se por um lado é ruim ser chamado de tolo, é importantíssimo ser visto assim para que não caia sobre ti, as grandes pressões, os grandes julgamentos, as grandes queixas e as grandes cóleras dos homens. Recomendo, assim, a minha primeira coluna neste site que me agrada muito. Aos meus leitores, deem uma olhada na coluna “a utilidade dos inúteis”. Degustem da melhor forma.

Aos meus leitores, deixo esta mensagem que servirá e muito para base e apoio. Ainda que não sejamos, mas que finjamos ser plenos idiotas. Para o mundo, tolos sem perspectiva, mas para nós, conhecedores das melhores estratégias de defesa neste mundo inescrupuloso.

Até mais!

Lucas Nelson

 

Responder