A tendência de o PSB fechar um acordo de aliança com partidos de esquerda nas eleições de 2018, principalmente o PT, pode levar o partido a ficar quase completamente esvaziado no Piauí. Além da bancada federal e dos deputados Wilson Brandão e Gustavo Neiva, o principal líder do PSB no Piauí pode também deixar o partido e fechar a porta. O ex-governador Wilson Martins já cogita trocar de partido em 2018 e se candidatar por outra legenda.

O destino do ex-governador, que é candidato ao senado, porém, não é o DEM, partido que seguirão os deputados Heráclito Fortes (este já desfiliado) e muito provavelmente Átila Lira. Martins, caso decida deixar o PSB, deve seguir o sobrinho Rodrigo Martins, o terceiro deputado eleito pelo partido em 2014, que está negociando seu ingresso no PRB. Como deputado federal, Rodrigo Martins tem o privilégio de assumir o comando partidário e indicar Wilson Martins como presidente no estado.

A idéia inicial, discutida com Fortes e Lira, era o ex-governador ingressar no DEM mas a possibilidade de não ter o controle do partido fez Martins recuar. O comando do DEM no Piauí passaria para as mãos de Fortes e depois o sucederia Átila Lira. Alijado desse acordo, Martins preferiu permanecer no PSB o qual tem total controle. Como não o agrada a idéia de o PSB se aliar ao PT no plano federal, mesmo que a coligação não seja vertical, Martins prefere outra legenda.

Fonte: portalaz.com.br

Responder