Docentes da Universidade Estadual do Piauí aprovaram uma paralisação, nesta quinta-feira (20), com o objetivo de pressionar o governo e chamar atenção para os problemas enfrentados pela comunidade acadêmica da instituição superior. A categoria afirma que está sem reajuste salarial há 4 anos e ameaça deflagrar greve, caso a reivindicação não seja atendida..

De acordo com a professora Lina Santana, presidente da Associação dos Docentes da UESPI – ADCESP, o sindicato vem pressionando e exigindo do governo do Estado uma resposta com relação ao reajuste salarial da categoria, mas, sendo a docente,  nada de concreto foi apresentado pelo executivo até o momento.

“Nós acumulamos uma perda salarial de 30,25% em relação ao último reajuste salarial que ocorreu em 2013. Já emitimos ofícios, fizemos reuniões e até manifestação na secretaria de administração e até agora nada. Se o governo não quer negociar, é preciso que a categoria dê uma resposta a isso. Por isso, nós aprovamos essa paralisação e queremos, a partir dela, construir um calendário para uma greve”, afirma.

Além da questão salarial, a categoria reivindica ainda a realização de concurso público. A Adcesp destaca que a universidade sofre com a ausência de professores e vários estudantes correm o risco de não terminarem seus cursos no tempo certo. Segundo levantamento da entidade, atualmente 52 disciplinas estão sem professores e pelo menos 13 cursos correm o risco de não serem validados pelo Conselho Estadual de Educação.

“Isso é um verdadeiro descaso com a UESPI, que já sofre de tantos problemas estruturais e financeiros. Nosso movimento de hoje é um alerta, mas existe a possibilidade de um greve por tempo indeterminado, caso o governo do Estado não aponte nenhuma solução”, avisa a professora Lina.

Fonte: Cidadeverde.com

Responder