A Unidade de Gestão e Programação do Gasto Público da Secretaria estadual de Fazenda (Sefaz) colocou um aviso que é proibido os credores entrarem na sala da unidade. Agora, os fornecedores, que muitos têm mais de três meses de atraso no recebimento de dinheiro do Estado, não sabem para onde ir e com quem cobrar o pagamento do serviço prestado. Parece que agora vale o famoso “devo não nego, pago quando puder”.

Responder