O deputado Robert Rios (PDT) chamou de “gravata” o abraço que recebeu do governador Wellington Dias, no Resorte BobZ, hotel na praia de Barra Grande, no litoral piauiense, no Carnaval, lamentando que a “mídia financiada pelo governo” tivesse divulgado excessivamente a foto, como se tivesse sido ele que procurou o governador. Robert disse que não foi educado em “estribaria”, para recusar um abraço do governador, só porque faz oposição a ele.

Segundo Robert Rios, a excessiva divulgação da fotografia em que ele aparece sendo abraçado pelo governador atendeu ao interesse do próprio governo, tanto assim que nas redes sociais houve insinuações de que ele estaria passando para o lado do governo. O deputado disse que tratará o governador com educação, todas as avezes que ele se aproximar de sua pessoa.

Justificando sua posição perante a atual gestão estadual, Bobert Rios disse que jamais ficará a favor de um governo que desconta dos servidores os valores a serem pagos aos empréstimos consignados e depois não repassa esses valores aos bancos, o que também acontece com os descontos para os sindicatos. Ele voltou a criticar o excesso de coordenadorias e de suplentes de deputados convocados, hoje praticamente a metade dos eleitos.

O deputado Dr.Pessoa (PSD) ofereceu aparte solidário com o orador, lembrando que também foi vítima de exploração por ter mantido uma conversa com o vice-prefeito de Parnaíba, Samarone Ferreira, o que levou pessoas maldosas a espalharem que ele estaria se colocando contra o prefeito Mão Santa. Sobre a divulgação excessiva da foto do colega Robert Rios com o governador Wellington Dias, Dr. Pessoa disse que não viu motivo, por se tratar de duas pessoas educadas.

O deputado Luciano Nunes (PSDB) também ofereceu aparte solidário com o orador e o colega Dr. Pessoa, pelas insinuações que sofreram. Sobre as coordenadorias criadas pelo governo Wellington Dias, Luciano citou matéria do portalaz sobre os valores de obras de calçamento feitas por coordenadorias estaduais em diversos municípios, quando o correto seria transferir os recursos para tais municípios.

Outro aparteante foi o deputado Marden Menezes (PSDB), que igualmente criticou os gastos do governo com a criação de coordenadorias e convocação de suplentes. Ele destacou que são 69 órgãos, entre Secretarias e Coordenadorias, mais que o dobro de ministérios do governo federal. Ele criticou os atrasos do governo com o pagamento de terceirizados e do transporte escolar.

O deputado Robert Rios concluiu seu discurso afirmando que a oposição fará campanha civilizada e que ele jamais apoiará um governo que teve dois mandatos sob o governo Lula e não conseguiu as obras que o Estado precisa, como o Porto de Luís Correia, que o governo do PT ignorou, preferindo construir o de Cuba, além de estradas em outros países.

 

 

Fonte: ALEPI

 

Responder