Por quatro votos a favor e  três  contra , o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta sexta-feira (9) pela absolvição da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, que foi acusada pelo PSDB de ter cometido abuso de poder político e econômico na campanha de 2014.

A votação chegou a ficar empatada com o voto da ministra Rosa Weber, e coube ao ministro Gilmar Mendes, presidente do TSE, dar o voto de minerva. Ele decidiu, então, inocentar a chapa, argumentando que o caso é peculiar e que “não se substitui um presidente da República a toda hora, ainda que se queira”. “A cassação de mandatos deveria ocorrer em situações inequívocas”, afirmou.

O ministro criticou a tentativa de uso do tribunal para resolver uma crise política. “Não é por acaso que a Constituição estabelece exigências. Do contrário, banalizaria o mandato.” Foram 25 horas de debates e 4 dias de julgamento.

Votaram pela condenação

  • Herman Benjamin, relator do caso
  • Luiz Fux
  • Rosa Weber

Votaram pela absolvição

  • Napoleão Nunes Maia Filho
  • Admar Gonzaga
  • Tarcisio Vieira de Carvalho Neto
  • Gilmar Mendes
 Fonte G1

Responder