Do petróleo ao marisco, das armas aos artigos de luxo. As sanções do Conselho de Segurança na ONU vetam qualquer atividade comercial com a Coreia do Norte para um leque bastante amplo de produtos. A lista aumenta à medida que o país prossegue com seus testes nucleares. O organismo multilateral aprovou nesta segunda-feira, em Nova York, uma nova leva de proibições como represália ao sexto teste atômico realizado pelo regime da família Kim, um dos mais sancionados do mundo. A ONU também veta aos países a admissão de novos trabalhadores norte-coreanos, para além dos cerca de 93.000 que Pyongyang já enviou ao exterior como mão de obra e que, com seus empregos, geram uma outra fonte de receita muito bem vista pelo regime.

Mesmo assim, apesar da forte pressão externa, Pyongyang não dá mostras de que cederá em sua determinação de se dotar de um programa de armamento que lhe permita fazer explodir uma bomba de hidrogênio em solo norte-americano.

Por Patricia Cassemiro

Responder